domingo, 1 de novembro de 2009

Planos CD em discussão nos EUA, logo após o pico da crise econômica. Porque ainda não no Brasil?

De Cajamar, SP.

A crise econômica global afetou o retorno dos investimentos e as economias acumuladas pelos empregados em seus planos de aposentadoria. A queda nos investimentos foi drástica nos EUA, mas menor aqui no Brasil.

Estima-se que em 2008 os americanos perderam cerca de ¼ de suas poupanças voltadas para a aposentadoria.

No Brasil, apesar de menor, houve perda também. Se a crise tivesse atrasado uns cinco anos, as perdas de patrimônio dos fundos de pensão e das seguradoras daqui teriam sido bem maiores.

Mas porque os planos CD estão sendo rediscutidos pelos americanos? Bem, vamos colocar esse assunto em contexto para poder entender.



Antes da crise

Desde meados da década de 90 as empresas no mundo todo vem se afastando dos planos de benefício definido (BD) em troca do modelo de contribuição definida (CD).

O fenômeno é global porque as duas principais razões por trás desse movimento também são mundiais:

(i) Aumento da longevidade – As pessoas estão vivendo cada vez mais. O limite da vida humana está hoje em 123 anos e continua sendo empurrado para a frente. Continuar a oferecer planos BD, significaria custos crescentes e compromissos cada vez maiores para as empresas.

(ii) Regras contábeis internacionais – Após os escândalos corporativos - Enron, WorldCom etc. - tornaram-se muito mais rígidas as regras para registro dos compromissos nos balanços das empresas. Planos BD afetam o resultado, o custo de capital e o valor das ações das empresas, não são bons para o negócio.

Nos planos CD, 401(k) nos EUA, o saldo acumulado pelas contribuições de empresas e empregados é pago á vista ou através de uma renda financeira.

Não existe a opção de “renda vitalícia” nesses planos, que garanta os pagamentos até o falecimento do participante. Portanto, não há compromissos a serem registrados nos balanços das empresas.


Após a crise

As empresas americanas estão percebendo que precisam fazer algo com relação à transferência do risco da longevidade para o participante, representada pelos planos CD.

Ou seja, é preciso assegurar que as economias voltadas para a aposentadoria não fiquem expostas a perdas nos planos CD, forçando os empregados a adiarem suas aposentadorias.

A pesquisa intitulado “2009 American Dream Study”, patrocinado pela seguradora MetLife, apontou que 80% das pessoas estão muito mais preocupadas com estabilidade e garantias na aposentadoria do que com retornos. Isso vai na contramão do plano CD.

“Depois que eliminamos nosso plano BD, queremos poder fazer todo o possível para ajudar nossos empregados”, disse Tony Cost, Vice-Presidente de RH da Silgan Containers Corp., fabricante de potes plásticos para alimentos, baseada em Woodlands Hills - Califórnia-EUA.

A alternativa que as empresas americanas estão estudando é o oferecimento de “annuities” como uma das alternativa de investimento dos planos CD.

Uma “annuity” é uma renda vitalícia comprada ao longo da carreira do empregado junto a uma seguradora. Ao invés de destinar toda a contribuição mensal para uma das opções de fundo de investimentos do plano CD, parte do dinheiro é usada para comprar uma renda vitalícia.

E no Brasil?

Por aqui, abaixo da linha do Equador, as empresas estão indo em sentido contrário e retirando a renda vitalícia como alternativa de benefícios dos planos CD.

Jody Strakosch – Diretora de Alianças Estratégicas da MetLife Inc. em Nova York – EUA comentou: “As empresas tem sido boas em dizer para as pessoas economizarem uma pilha de dinheiro. No que elas não tem sido boas é em ajudar as pessoas a converter isso em renda de aposentadoria”.

Esse comentário vale também para várias patrocinadoras de planos CD administrados por fundos de pensão aqui no Brasil. Muitas pensam não haver alternativa para resolver o impasse dos planos CD, mas há.

Em 2006 eu criei e implantei um modelo de previdência complementar para resolver esse problema. Foi desenvolvido para uma empresa Portuguesa com operações no setor de energias aqui no Brasil. Funciona perfeitamente!

Quer saber como funciona? Entre em contato comigo e terei prazer em partilhar esse conhecimento.


Forte abraço,
Eder.


Fonte – Business Insurance – By Louise Escola

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Cuidados na Portabilidade

Hora no Mundo?

--------------------------------------------------------------------------

Direitos autorais das informações deste blog

Licença Creative Commons
A obra Blog do Eder de Eder Carvalhaes da Costa e Silva foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em nkl2.blogspot.com.
Podem estar disponíveis permissões adicionais ao âmbito desta licença em http://nkl2.blogspot.com/.

Autorizações

As informações publicadas nesse blog estão acessíveis a qualquer usuário, mas não podem ser copiadas, baixadas ou reutilizadas para uso comercial. O uso, reprodução, modificação, distribuição, transmissão, exibição ou mera referência às informações aqui apresentadas para uso não-comercial, porém, sem a devida remissão à fonte e ao autor são proibidos e sujeitas as penalidades legais cabíveis. Autorizações para distribuição dessas informações poderão ser obtidas através de mensagem enviada para "eder@nkl2.com.br".



Código de Conduta

Com relação aos artigos (posts) do blog:
1. O espaço do blog é um espaço aberto a diálogos honestos
2. Artigos poderão ser corrigidos e a correção será marcada de maneira explícita
3. Não se discutirão finanças empresariais, segredos industriais, condições contratuais com parceiros, clientes ou fornecedores
4. Toda informação proveniente de terceiros será fornecida sem infração de direitos autorais e citando as fontes
5. Artigos e respostas deverão ser escritos de maneira respeitosa e cordial

Com relação aos comentários:
1. Comentários serão revisados depois de publicados - moderação a posteriori - no mais curto prazo possível
2. Conflitos de interese devem ser explicitados
3. Comentários devem ser escritos de maneira respeitosa e cordial. Não serão aceitos comentários que sejam spam, não apropriados ao contexto da dicussão, difamatórios, obscenos ou com qualquer violação dos termos de uso do blog
4. Críticas construtivas são bem vindas.




KISSMETRICS

 
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.