segunda-feira, 22 de março de 2010

Taxas de carregamento administrativo e taxas de gestão financeira em planos CD - Brasil vs Reino Unido

De Londres, Inglaterra.
De acordo com um relatório do governo britânico, os planos de contribuição definida (CD) administrados por fundos de pensão no Reino Unido, ”trust-based schemes” –  semelhantes aos das entidades fechadas de previdência complementar brasileiras – operam com um custo total médio equivalente a apenas 2,08% das contribuições ou 1,23% se a taxa for baseada no patrimônio.
O relatório intitulado “Charging Levels and Structures in Money-Purchase Pension Schemes: Report of a Quantitative Survey” foi publicado pelo “Department for Work and Pensions – DWP”. O resultado mostra que 73% dos planos cobra todos os serviços através de uma taxa única, enquanto 21% cobra taxas separadas para os diversos serviços como gestão dos investimentos, administração das contas e comissões de intermediação.

Dentre os planos que cobram uma taxa única, 50% adotam uma taxa em percentual do patrimônio do fundo, geralmente 1% enquanto a média é 1,23%. Essa taxa se reduz na medida em que o patrimônio aumenta. Cerca de 19% dos planos baseiam a cobrança em uma taxa incidente sobre as contribuições, cuja média é 2,08%. 
É curioso notar que as taxas podem ser amenizadas de várias maneiras, por exemplo, diminuindo na medida em que o patrimônio do plano aumenta. Isso explica porque dentre os planos que cobram taxa única para todos os serviços, menos de 10% adota um percentual fixo ou uma taxa rígida.
Arrisco dizer que 99% dos contratos de gestão de investimentos dos fundos de pensão no Brasil, isso vale também para os PGBL corporativos, não incorporam a diminuição das taxas de gestão financeira com a evolução do patrimônio do plano ao longo do tempo!
Os 800 gerentes responsáveis pelos planos CD pesquisados indicaram que o custo geral dos programas são pagos total ou parcialmente pelas empresas patrocinadoras. Apenas um em cada cinco empregados assume totalmente as taxas de administração e gestão financeira do plano.
Em 5% dos planos, normalmente os pequenos, a taxa de administração é cobrada na entrada (“front-loaded”) para gerar receita imediata e cobrir mais rapidamente os custos representados pelos novos membros. Essa abordagem encoraja os participantes a permanecerem no plano por mais tempo para evitar perdas, já que essas taxas corroem as contribuições creditadas em caso de saídas antecipadas.
O estudo também examinou a estrutura de cobrança de 3.513 planos corporativos semelhantes aos PGBL empresariais nos quais a empresa pode ou não (planos averbados) fazer contribuições, chamados no Reino Unido de “Group Personal Pensions -GPP“ e “Stakeholder Pensions - SHP” .
Em 55% desses planos a taxa anual de carregamento administrativo é inferior a 1% enquanto em 96% desses planos a taxa de gestão financeira padrão, excluídas as comissões de intermediação, é inferior a 1% do patrimônio ficando entre 0,4% e 0,6% em 36% dos planos.
Apenas como parâmetro para comparação, os PGBL comercializados pelas entidades abertas de previdência complementar no Brasil cobram uma taxa de carregamento administrativo médio, nos planos corporativos, entre 1,5% e  2,0%(1) das contribuições e uma taxa de gestão financeira média, considerando todos os fundos, de 1,64%(2) do patrimônio investido.
Notas: (1)    Fonte: Experiência NKL2 com projetos de consultoria; e (2)    Fonte: ANBIMA
Numa carta enviada aos respondentes da pesquisa, o DWP informou que o estudo é parte do compromisso do governo em “monitorar o setor de previdência complementar e que a informação coletada ajudará o DWP a mensurar o impacto potencial da reforma da previdência corporativa”, prevista para 2012.
A reforma deverá criar o denominado “National Employees Savings Trust – NEST”, um plano com custo especialmente reduzido cuja taxa de gestão financeira anunciada pelo governo deverá se situar em 0,3% do patrimônio e a taxa de carregamento administrativo ficará inicialmente em 2% das contribuições, podendo ser reduzidas a zero uma vez que o custo de implantação do novo programa tenha sido amortizado.
O relatório completo da pesquisa pode ser obtido através do seguinte link:
Eu teria um imenso prazer em desenvolver um estudo similar no mercado brasileiro, junto com meus amigos da PREVIC e/ou da SUSEP.
Forte abraço,
Eder.
 Fonte: IPE - Nyree Stewart 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Cuidados na Portabilidade

Hora no Mundo?

--------------------------------------------------------------------------

Direitos autorais das informações deste blog

Licença Creative Commons
A obra Blog do Eder de Eder Carvalhaes da Costa e Silva foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Com base na obra disponível em nkl2.blogspot.com.
Podem estar disponíveis permissões adicionais ao âmbito desta licença em http://nkl2.blogspot.com/.

Autorizações

As informações publicadas nesse blog estão acessíveis a qualquer usuário, mas não podem ser copiadas, baixadas ou reutilizadas para uso comercial. O uso, reprodução, modificação, distribuição, transmissão, exibição ou mera referência às informações aqui apresentadas para uso não-comercial, porém, sem a devida remissão à fonte e ao autor são proibidos e sujeitas as penalidades legais cabíveis. Autorizações para distribuição dessas informações poderão ser obtidas através de mensagem enviada para "eder@nkl2.com.br".



Código de Conduta

Com relação aos artigos (posts) do blog:
1. O espaço do blog é um espaço aberto a diálogos honestos
2. Artigos poderão ser corrigidos e a correção será marcada de maneira explícita
3. Não se discutirão finanças empresariais, segredos industriais, condições contratuais com parceiros, clientes ou fornecedores
4. Toda informação proveniente de terceiros será fornecida sem infração de direitos autorais e citando as fontes
5. Artigos e respostas deverão ser escritos de maneira respeitosa e cordial

Com relação aos comentários:
1. Comentários serão revisados depois de publicados - moderação a posteriori - no mais curto prazo possível
2. Conflitos de interese devem ser explicitados
3. Comentários devem ser escritos de maneira respeitosa e cordial. Não serão aceitos comentários que sejam spam, não apropriados ao contexto da dicussão, difamatórios, obscenos ou com qualquer violação dos termos de uso do blog
4. Críticas construtivas são bem vindas.




KISSMETRICS

 
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil License.